Digest 09/08 - Domínio Bitcoin atinge alta incrível

Cenário surreal para o Bitcoin. A criptomoeda bate novamente recorde de dominância desde 2017, chegando a 68,8% sobre todas as altcoins.


Com o corte dos juros feito pelo Fed e a seguinte desvalorização do yuan pela China, o Bitcoin ficou em alta quase toda a semana, sofrendo uma queda apenas quando enfrentou a resistência dos US$ 12 mil.


Cotação semanal do Bitcoin. (Fonte: BitcoinTicker)

Ainda no cenário da Guerra Comercial entre China e EUA, o presidente americano Donald Trump anunciou na semana passada a criação de novas tarifas de 10% sobre importações chinesas no valor de US$ 30 bilhões. Como resposta ao ato, a China suspendeu a compra de produtos agrícolas americanos e permitiu a desvalorização da moeda local, o yuan. Ou seja, forçou o barateamento dos produtos chineses e estimulou a exportação. O yuan fraco, além de ajudar os exportadores da China a superarem as tarifas americanas, também influencia na desvalorização das moedas de países emergentes, como o Brasil. Com os mercados financeiros abalados pela Guerra Comercial das duas grandes potências, o Bitcoin ultrapassou a barreira dos US$ 11 mil no mesmo momento em que a China desvalorizou sua moeda. Em contrapartida, Nasdaq e Dow Jones tiveram quedas de 3,9% e 2,6% respectivamente. De acordo com o fundador da plataforma de negociações Nox Bitcoin, João Paulo Oliveira, “ativos antifrágeis [como o Bitcoin] se beneficiam do caos provocado por esses eventos extremamente impactantes, apresentado mais ganhos mediante maior estresse econômico.”


Variação do mercado. (Fonte: Coin360)

Outra boa notícia para o Bitcoin foi a quebra de mais um recorde. A taxa de hash do Bitcoin passou de 80 quintilhões de SHA256 hashes por segundo pela primeira vez ontem (8). Isso mostra a concorrência das mineradoras pelo bloco e significa que o preço pelo bloco está bastante bom devido ao volume de transações feitas neste período.


Após uma grande violação de segurança da Binance, uma das maiores exchanges de criptomoedas, que resultou na perda de 7 mil BTC em junho deste ano, os hackers começaram a lavar os fundos roubados, de acordo com a plataforma Clain. Pesquisadores da Clain concluíram que os fundos roubados foram direcionados para o site Chipmixer, que registrou o maior fluxo de dinheiro da história do site. A equipe da Clain estima que foram lavados mais de 5.300 BTC. A Binance enfrenta ainda boatos recentes de um possível vazamento de dados Know-Your-Customer (KYC).


Apesar do suposto segundo ataque sofrido, a BNB teve uma alta de 15% ontem (8). O site Portal do Bitcoin especula que a valorização pode ter sido impulsionada por mais um anúncio de IEO (Initial Exchange Offerings), uma oferta inicial de troca administrada por uma exchange em nome de uma startup que busca levantar fundos com seus novos tokens emitidos. Recentemente, a Binance também anunciou uma integração com a Crypto.com na Binance Chain. A Crypto.com, conhecida inicialmente como Mônaco, é uma das mais famosas empresas de blockchain e oferece um aplicativo de carteira móvel e cartões pré-pagos MCO Visa para que os usuários comprem, vendam, negociem e gastem criptomoedas e moedas fiduciárias. A Crypto.com promete aos detentores de BNB um ganho de até 8% de juros ao ano usando o cartão de crédito cripto.


O CCID (China Electronic Information Industry Development) publicou na semana passada o relatório que classificou o EOS como 1º lugar entre outras 37 criptomoedas, levando em consideração o projeto em geral, tecnologia básica, aplicabilidade e criatividade. Dado que uma cripto deve ser descentralizada, este ranking pode ser um pouco suspeito.



Opinião do Christian:

O halving do Litecoin passou e não tivemos o resultado esperado. Diminuirei a posição porque não aguento mais esperar.

Bitcoin e Binance Coin são as melhores posições hoje.


Carteira do Christian:

(60%) Bitcoin: ∆ +13,68%

(25%) Litecoin: ∆ -8,74%

(15%) Binance Coin: ∆ +9,04%

0 visualização
CONTATO