Digest 11/10 - A incansável luta pelo ETF

O Bitcoin conseguiu sobreviver aos novos mercados futuros e manteve sua margem de preço por volta dos US$ 8.000. Ainda ameaçou uma recuperação atingido quase US$ 8.800 ontem (10).

Oscilação do Bitcoin na semana. (Fonte: BitcoinTicker)

Variação de mercado. (Fonte: Coin360)

Mais um ETF, fundo negociado em bolsa, foi recusado. O pedido da Bitwise Asset Management foi recusado nesta quarta-feira (9) pela SEC, Comissão de Valores Mobiliários americana. Entretanto, a Bitwise e a NYSE Arca confirmaram que vão resolver as preocupações da SEC e pretendem apresentar uma nova solicitação de ETF de Bitcoin o mais rápido possível. Para Jake Chervinsky, advogado especialista em criptomoedas, a SEC não aprovará um ETF de Bitcoin enquanto tiver Jay Clayton na presidência. Chervinsky afirma que Clayton e sua equipe consideram o Bitcoin um ativo suscetível a acordos de manipulação.


Enquanto os ETFs de Bitcoin são rejeitados, os futuros continuam ganhando força. Agora foi a vez do Ethereum ser considerado mercadoria pela Comissão de Comércio de Futuros de Commodities (CFTC) dos Estados Unidos. Essa semana, Heath Tarbert, presidente da CFTC, declarou acreditar que o Ether seja uma commodity e que o comércio de futuros de ETH será realidade em um futuro próximo. [Podemos também esperar resultados negativos aqui.]


A Bakkt, plataforma apoiada pela Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), começa a deslanchar e teve um aumento de 796% em seu volume de negociação de futuros de Bitcoin na quarta-feira (9). O aumento de volume aconteceu logo após o preço do Bitcoin subir para US$ 8.600 no mesmo dia.


A plataforma de negociação de balcão B2C2 desenvolveu um produto para negociação de ouro usando o Bitcoin para preços e liquidação. De acordo com o CEO da empresa, Max Boonen, os clientes poderão negociar uma onça de ouro precificada em Bitcoin e o derivado também será liquidado em Bitcoin. A quantidade mínima para negociação na plataforma será de uma onça, aproximadamente US$ 1.507.


O PayPal deixou oficialmente o Libra Association, órgão da moeda digital Libra do Facebook. O processador de pagamentos faltou a uma importante reunião na semana passada e anunciou sua saída do projeto. [Isso baixa a credibilidade de iniciativa Libra.]


A Binance, principal exchange de criptomoedas, lançou na quarta-feira (9) a funcionalidade de negociação peer-to-peer de Bitcoin, Ether e Tether para o yuan chinês (CNY). A exchange também começou a aceitar moedas fiduciárias por meio da plataforma de pagamento online Alipay e do aplicativo de mensagens e pagamento móvel WeChat. O CEO da Binance, Changpeng Zhao, esclareceu pelo Twitter que não está trabalhando diretamente com essas empresas, mas que os usuários podem utilizá-las para transações P2P.


O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, anunciou na terça-feira (8) o lançamento de um fundo de criptomoedas para apoiar a tecnologia de código aberto visando beneficiar crianças e jovens em todo o mundo. Segundo a diretora executiva do UNICEF, Henrietta Fore, “se as economias e moedas digitais têm o potencial de moldar a vida das próximas gerações, é importante explorar as oportunidades que elas oferecem”. A Ethereum Foundation, organização suíça sem fins lucrativos, foi a primeira colaboradora do novo fundo de criptomoedas.


A Coinbase, uma das maiores exchanges, lançou ontem (10) um aplicativo para sua plataforma de negociação profissional. A exchange informou que as taxas dos pedidos executados no aplicativo serão iguais às da plataforma para desktop.


No mesmo dia, a Coinbase também declarou que que dará suporte de custódia para a Gram, futura criptomoeda do Telegram, quando for lançada.

Vitalik Buterin prometeu na Devcon uma atualização da rede Ethereum para Proof-of-Stake para tentar dar conta da escalabilidade. O PoS ainda é muito questionado e a atualização será lenta, sem muitas esperanças para o mercado.


No Brasil, o deputado federal Aureo Ribeiro (SD-RJ) conseguiu as assinaturas necessárias para protocolar o pedido de abertura da CPI do Bitcoin e das criptomoedas. O deputado é autor do Projeto de Lei que prevê a regulamentação da negociação de criptomoedas. O pedido ainda terá que ser aprovado na Câmara dos Deputados para o início da CPI e ter os prazos estabelecidos para as conclusões serem encaminhadas ao Ministério Público.


A fintech Alterbank anunciou na segunda-feira (7) o lançamento da primeira conta digital Visa no Brasil, que conecta criptomoedas ao sistema financeiro tradicional. Os usuários brasileiros terão na mesma carteira duas contas: uma com Bitcoin e altcoins e outra com um cartão Visa. Com a conta digital será possível efetuar operações bancárias como compras, saques, transferências e pagamentos de boletos. Já por meio da carteira de criptomoedas, os clientes poderão depositar, manusear e transferir bitcoins para outras carteiras ou converter as criptomoedas para reais na sua própria conta.


Opinião do Christian:

Apesar de o Bitcoin ter segurado bem os novos mercados futuros, ainda tem a entrada do Ether no mercado futuro, o que é uma boa notícia em longo prazo, mas não no curto.


Carteira do Christian:

(60%) Bitcoin: ∆ +1,87%

(30%) Binance Coin: ∆ +6,93%

(10%) Tezos: ∆ -2,25%

0 visualização
CONTATO