Digest 13/09 - Ethereum mais congestionada que nunca

O Bitcoin permaneceu estável e passou a semana sem muitas oscilações. Os sucessivos golpes estão fazendo a dominância da criptomoeda permanecer em alta. A bola da vez é a iniciativa Atlas Quantum.


Variação de mercado. (Fonte: Coin360)

Oscilação semanal do preço do Bitcoin. (Fonte: BitcoinTicker)

Adam Back, CEO da companhia de tecnologia focada em inovação em criptomoedas e contratos inteligentes Blockstream, alegou em um debate no Twitter que o Bitcoin deverá atingir uma dominância de 90% do valor de mercado ou até mais, voltando ao patamar de 2015. Os traders Peter Brandt e Max Keiser também acreditam na volta da alta dominância do Bitcoin e afirmam que a bolha das altcoins cresceu e estourou.


A análise abaixo projeta o Bitcoin triplicando de preço levando em consideração o halving do ano que vem:


Estimativa de preço do Bitcoin. (Fonte: Comunidade r/Bitcoin no Reddit)

A Libra está focada em derrubar os obstáculos regulatórios e finalmente entrar no mercado. Bertrand Perez, diretor geral da Libra Association, continua afirmando em entrevista à revista francesa Les Echos que o lançamento da criptomoeda deverá acontecer no segundo semestre de 2020. Perez confirmou ainda que, ao ser lançada, a Libra estaria vinculada à uma seleção das principais moedas mundiais, mas principalmente ao yuan chinês.


Com a criptomoeda do Facebook à caminho, Bruno Le Maire, Ministro das Finanças da França declarou que a Europa deveria considerar emitir sua própria cripto para tentar desafiar a Libra. Le Maire afirmou a repórteres que discutirá uma possível moeda digital pública com outros ministros europeus no mês que vem. O ministro também informou essa semana que as autoridades francesas não irão tributar transações cripto-a-cripto. Porém, quando as criptomoedas forem vendidas por moedas fiduciárias, haverá tributação.


A exchange Binance publicou ontem (12) que irá incluir todos os negócios e produtos de futuros na queima trimestral de seu token nativo, o Binance Coin. A queima de tokens é uma atitude comumente utilizada para fins deflacionários e não destrói literalmente os tokens, apenas os torna inutilizáveis no futuro.


A rede Ethereum ficou congestionada recentemente e os usuários afirmaram que as transações estavam demorando horas e, em alguns casos, dias para serem concluídas. De acordo com o Cointelegraph, alguns especialistas acreditam que foi a stablecoin Tether quem causou a lentidão. As transações da criptomoeda estariam ocupando 50% da capacidade da rede e o USDT processando US$ 18 bilhões em volume de negociação.


Ainda sobre o Tether, ontem (12), o Whale Alert, perfil no Twitter que relata grandes transações de criptomoedas, alertou que 300 milhões de USDT foram cunhados em uma troca do protocolo Omni para a Ethereum. Entretanto, a queima correspondente à troca de cadeia ainda não ocorreu na Omni. [Análise] Esta movimentação não parece fazer sentido já que a rede Ethereum está congestionada, a rede Omni deve estar pior ainda. Este é o tipo de problema que a blockchain Hathor pretende resolver.


O Bank of New York Mellon foi nomeado para ser administrador e agente de transferência da proposta da Bitwise Asset Management, pioneira no primeiro fundo de índice de criptomoedas, para criar um fundo de negociação de câmbio ETF (fundo de investimento negociado na Bolsa de Valores) de Bitcoin. A Bitwise entrou com a proposta de alteração de regra na Lei de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) de 1993 em janeiro para listar seu ETF Bitcoin na bolsa NYSE Arca.


Com a negociação de Bitcoin batendo recorde a cada semana na Venezuela devido à hiperinflação afetando a moeda local, o maior banco venezuelano resolveu dar suporte à Petro, criptomoeda atrelada às reservas de petróleo do país lançada pelo governo. Os clientes do Banco de Venezuela (BDV) ganharam nesta sexta-feira (13) uma nova seção em sua conta bancária online dedicada à criptomoedas e a Petro é a única aceita na carteira no momento.


No Brasil, a Atlas Quantum demitiu quase metade dos diretores da empresa ontem (12). A plataforma de investimentos em Bitcoin alegou que as demissões aconteceram devido ao momento de transição da empresa. As demissões reforçam o momento de crise que a Atlas Quantum está enfrentando desde a proibição decretada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A Atlas também é acusada pela mídia de ser mais um esquema pirâmide.


De acordo com a decisão publicada ontem, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo pediu às empresas Mercado Bitcoin, Bitcoin Trade e Foxbit para buscarem os ativos digitais de outra suposta pirâmide financeira, a Miner, e apreendê-los judicialmente. A Miner é acusada de operar um esquema que prometia grandes retornos através de investimento em Bitcoin e criptomoedas. Depois de um tempo operando, os usuários da plataforma começaram a reclamar de atraso em saques. Após o pedido de bloqueio por um cliente que não conseguiu reaver o dinheiro aplicado, o Ministério Público passou a investigar as atividades da empresa e de todos os envolvidos no processo.



Opinião do Christian:

Binance faz mais uma queima de estoque reforçando a alta da moeda.

Bitcoin anda de ladinho mas o halving aponta sempre perspectiva de alta.

Ethereum mais congestionado que nunca. Carteira permanece a mesma.


Carteira do Christian:

(70%) Bitcoin: ∆ -2,82%

(30%) Binance Coin: ∆ -7,45%

0 visualização
CONTATO