Digest 30/08 - A volta do mercado de futuros

O Bitcoin está enfrentando uma tendência de queda principalmente pelo movimento do mercado de futuros. Este mercado é tão forte que foi ele o responsável pela grande queda de 2017. Os futuros permitem que mais investidores apostem na baixa e torçam por ela.


Variação do mercado. (Fonte: Coin360)

Especialistas acreditam que muitos investidores tenham vendido suas participações para liquidar contratos futuros que estão para vencer. Durante o período que antecede a liquidação destes, o Bitcoin tem apresentado uma pressão de baixa e o vencimento dos futuros tende a estimular a volatilidade. O vencimento dos futuros do Chicago Mercantile Exchange (CME) Group acontece hoje (30).


Outro movimento dos futuros foi na quarta-feira (28). A Bakkt anunciou o lançamento de uma nova plataforma para 23 de setembro, depois de muitos atrasos. O fato não é um sinal de alta para o Bitcoin porque essa fornecedora de futuros de Bitcoin é voltada para investidores institucionais, os quais querem entrar no mercado pelo menor preço possível. Ou seja, as baleias irão tentar pressionar os níveis de suporte para forçar os pequenos investidores a venderem baseados no medo.


A fala de Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio da China, de que o país rejeita a guerra comercial e está tentando lidar com a situação de conflito com os Estados Unidos de maneira calma impulsionou a bolsa de valores e pressionou o Bitcoin. Feng afirmou ainda que a China está disposta a negociar e colaborar para resolver este problema.


O preço do Bitcoin está mantendo a faixa dos US$10 mil há 3 meses e Nigel Green, CEO e fundador da empresa de consultoria financeira deVere Group, acredita que este pode ser o novo suporte do preço da criptomoeda. Na terça-feira (27), Green declarou que “se a moeda flutuar abaixo desse nível, ela dispara novamente. Vimos isso na segunda-feira, quando o Bitcoin atingiu US$ 10.500 em questão de minutos.”


O gráfico da variação semanal do preço do Bitcoin mostra os drops, movimentos bruscos que não indicam tendência de mercado pois são concentrados em alguma instituição, porém eles sempre causam impacto.


Variação semanal do Bitcoin. (Fonte: BitcoinTicker)

A BitMEX, mais popular exchange de negociação alavancada, liquidou US$ 52 milhões no domingo (25), resultado da alta repentina do Bitcoin. A brusca elevação de preço que a criptomoeda teve forçou a liquidação de quem tinha apostado na queda da cripto no curto prazo. Vale ressaltar que a BitMEX possui a maior concentração de volume de negociações de Bitcoins.


Xeque-mate no suposto Satoshi. Nesta segunda-feira (26), um juiz recomendou que o cientista da computação Craig Wright, que admitiu ser Satoshi em 2016, devolvesse 50% dos Bitcoins que minerou junto com seu ex-parceiro de negócios Dave Kleiman. O caso começou em 2018, quando a propriedade de Kleiman alegou que Wright roubou US$ 10 bilhões através de falsos contratos. A multa fiscal de US$ 5 bilhões que Wright deve pagar pode retornar 200 mil criptomoedas ao mercado, resta saber se ele vai conseguir realmente mexer em um dos endereços de Satoshi como este: 1A1zP1eP5QGefi2DMPTfTL5SLmv7DivfNa


O Tether, a maior stablecoin do mercado, ultrapassou o volume de negociações do Bitcoin na quarta-feira (28). Enquanto o USDT registrou um volume de negociação diário de US$ 20 bilhões, o Bitcoin atingiu US$ 18 bilhões. Alguns analistas acreditam que a emissão de novos USDTs afeta diretamente o preço do Bitcoin, segundo o Cointelegraph. Posto isso, os traders aproveitam o momento de queda do Bitcoin para negociarem.


Recentemente a Binance, maior exchange do mundo, anunciou que vai interromper temporariamente parte dos seus serviços para moradores dos Estados Unidos. Após a divulgação, o volume de negociação das altcoins que não estarão mais na versão norte-americana da Binance caiu bruscamente. A mudança ocorrerá por causa do lançamento de uma plataforma específica para esse público no final deste ano. Entretanto, não serão todas as criptomoedas que irão fazer parte dessa nova versão local da exchange. Até o momento, a lista da Binance.US inclui Nano (NANO), Vechain (VET), Waves (WAVES), Zilliqa (ZIL) e Basic Attention Token (BAT). Segundo o Cointelegraph, analistas alertam para uma turbulência significativa no próximo mês no mercado das altcoins.


Lista das criptomoedas que irão fazer parte da Binance.US. (Fonte: Cointelegraph)

No Brasil, o Banco Central (Bacen) reconheceu oficialmente o Bitcoin e criptomoedas em geral como bens e incluiu a negociação de ativos digitais nas estatísticas sobre a balança comercial do país através de uma publicação oficial na segunda-feira (26). Segundo Rosine Kadamani, co-fundadora da Blockchain Academy, a iniciativa do Bacen traz tributos e burocracia e não aborda as criptos como necessário. Para ela, as criptomoedas devem ser reconhecidas oficialmente como meios de pagamento.


A Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) publicou na quarta-feira (28) dois comunicados que podem auxiliar na construção de um mercado regulado para investimentos em Bitcoin, criptomoedas e tokens no país. O primeiro informava a abertura de uma Audiência Pública para discussão das regras que podem permitir a criação de tokens e criptomoedas de forma regulamentada no mercado nacional e com a autorização da autarquia. O segundo informe apresentou a Ponte da Inovação, que tem o objetivo de acompanhar o desenvolvimento e a aplicação de novas tecnologias financeiras no mercado de capitais.



Opinião do Christian:

Como alertei anteriormente, apesar dos ótimos resultados, arbitragem é uma técnica com risco operacional alto. A corretora Atlas Quantum entrou forte nessa e corre o risco de quebrar por falta de liquidez.

Como vimos no nosso relatório, a Binance nos pegou de surpresa mas deve voltar logo, logo. Ótimo momento de compra. Bitcoin não recomendo a compra pois o dólar continua muito alto.


Carteira do Christian:

(70%) Bitcoin: ∆ -8,24%

(30%) Binance Coin: ∆ -18,67%

0 visualização
CONTATO