RELATÓRIO 05/02 A 12/02

O mercado das moedas digitais teve uma pequena recuperação essa semana, com um aumento no valor das principais moedas e de algumas altcoins. O bitcoin chegou a casa dos US$3660, marcando o maior valor deste ano, e se estabilizou em US$3600. A subida se deu na sexta-feira, dia 08, após comentários de um dos membros da SEC, Robert Jackson, de que o ETF para bitcoin certamente será aprovado em algum momento.


Além disso, reportagens sobre o halving do bitcoin que acontecerá ano que vem finalmente começaram a surgir nessa semana, o que também estimulou a compra da moeda. Segundo o CoinTelegraph, especialistas estão apostando na valorização do bitcoin antes da redução do prêmio pela mineração (halving) e aconselham os investidores a acumularem na moeda.


No curto prazo, as previsões são de que o valor se manterá estável, devido ao grande número de compradores acima de US$3000.




A grande vencedora da semana foi a Litecoin, que valorizou 28% no período com o valor de US$43,97 e fez a moeda chegar à quarta posição do ranking de capitalização. A alta se deu por conta de notícias de uma parceria com a desenvolvedora Beam que trará um novo protocolo à sua blockchain, permitindo que as transações sejam “ofuscadas, porém verificáveis”, o que garantirá aos usuários maior privacidade e prevenção de double-spending.





Outras moedas também tiveram um avanço no período e agora brigam pelas posições no ranking de capitalização. O Ethereum valorizou 14% na semana, atingindo o valor de US$122 e reclamando o segundo lugar da lista. O Ripple caiu para terceiro, sendo vendido a US$0.30, uma valorização modesta de 1,90%.


Uma moeda que continua se destacando é a Binance Coin, pertencente à segunda maior exchange do mundo, que valorizou 23% na semana, atingindo o valor de US$9,20. Um bom sinal de que o mercado irá se aquecer.


Enquanto isso, a Venezuela, um dos países com maior trading de moedas digitais, atingiu o recorde de investimento em bitcoin na semana. A população vem buscando na moeda uma alternativa para proteger seu dinheiro da hiperinflação que assola o país. Cerca de 17.1 bilhões de bolívares venezuelanos foram trocados na semana, equivalendo 1972 BTC. O governo do país lançou ainda um programa de novas leis para o universo cripto que irá punir usuários sem autorização para atuar no mercado.


O dólar americano se valorizou e atingiu uma nova alta em 2019, valendo R$3,76. A alta se deu por conta de preocupações contínuas sobre a guerra comercial entre EUA-China, mas o valor já começa a recuar para US$3,71 no final da semana. Apesar disso, economistas vêm apostando na desaceleração da economia dos EUA devido à incongruência entre sua taxa de juros, que vem crescendo desde o ano passado, e a política fiscal, que está mirando em diminuição de impostos em Wall Street. Investidores encaram esse cenário com desconfiança, o que pode resultar em redução do ritmo da economia do país.


Já a bolsa brasileira se valorizou após notícias de que o presidente Jair Bolsonaro deve deixar o hospital na quarta-feira (dia 13) e agir sobre a Reforma da Previdência ainda essa semana, o que atrairá investidores para ativos brasileiros.





Opinião do Christian

Christian acha que o juros nos EUA deve subir e com isso acaba pressionando juros e dólar aqui. Quanto mais próximo do halving, mais o bitcoin deve ser valorizado. Para o bitcoin o cenário é estável, com previsão de alta no longo prazo.

Litecoin é sempre uma boa alternativa ao bitcoin, já que é o único concorrente fidedigno, depois que Bitcoin Cash perdeu força com as brigas.

0 visualização
CONTATO